domingo, 31 de julho de 2011

A insistência da desistência.

Desistir: Não continuar, abster-se, renunciar.

O pulso ainda pulsa, e o banco ainda me escuta.

Quando uma flor desiste de florescer, o universo deveria parar! Perderiamos sua beleza, sua fragância, sua exuberância...nossa quanto desperdício!
As estrelas deveriam convencê-la a existir, mostrar que a beleza se encontra nas coisas simples, custa entender?
A falta de sensibilidade e humanidade têm feito muitas flores desistirem de florescer...talvez porque as pétalas de algumas não são tão bonitas, elaboradas, exuberante quanto de outras...então o que seria da rosa?? A flor mais comum, a que não tem novidades em desenhos, todas são iguais, diferenciam-se em cores somente...mas nem por isso ela deixa de exalar seu aroma, porque a beleza dela é única, contém singeleza, simplicidade, sentimento...nem todos gostam de exuberância.
Àqueles que não sabem apreciar beleza alguma, ao menos não interfira a ponto de desanimar tão lindo feito da natureza a crescer, pluralizar sua beleza!
Aos que acham que beleza é fundamental, faça interpretação de texto...olhe dentro do caule a verdadeira beleza, e não as formas e cores das pétalas.


"Belas flores são regadas por água, belas flores são regadas por lágrimas."
Escrito por: Paula Marini

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Saia do casulo!

Descoberta: Coisa que se descobriu; descobrimento, achamento; invenção, invento.


Em certos momentos da vida, um banquinho e uma reflexão não são o bastante...é necessário sentir o ar puro, a brisa acariciando o rosto, sinal de liberdade!
Saia do casulo! Mas saiba o que está fazendo, não adianta virar uma linda borboleta e não saber usar sua beleza para cruzar o vento certo!
Voe, mas voe alto!! Voos planos não levam à grandes conquistas...porque se houver queda, vai ser de altura baixa, e precisamos muitas vezes levantar de grandes tombos!!!
Traçar grandes viagens e planos não é lá a melhor opção, imprevistos acontecem, e não é nada legal se frustrar por não ter conseguido alcançar o que queria...faça um pequeno plano de voo de cada vez...recapitulando, PEQUENO! Mas é merecido voos sem direção, pode chegar até imensidões jamais visitadas, é só deixar o vento guiar...
E se a asa quebrar?? Tenha sempre em mente um pouso de emergência...mas detalhe, que borboletas são borboletas em qualquer ocasião...o pouso tem de ser deslumbrante assim como elas. Sem perder a pose, mesmo com uma asa a menos, usa de toda elegância para pousar...
Abusaaaa da liberdade sabe porque?? Sabe bem o que é ficar presa, num casulo escuro, tendo que ocultar tamanha beleza de suas formas inusitadas em suas asas.
Dê valor a cada voo, por saber que um dia, não pôde usufruir de seu grande dom de voar.
Cuidado borboleta! Se voar por ares ainda não descobertos e ver que não é ar que se respire, passa a quinta marcha e sai fora! O Grande te fez com uma beleza tão imensa que seria uma falta de consideração com Ele se deixar levar por ventos ruins...
E se um dia se deixar levar, volta...borboletas sempre voltam, e o jardim é Ele.


Enquanto existir sinais vitais, não diga que é tarde.

Escrito por: Paula Marini